Inflação - Omnia Tecnologia

Porque a inflação deve subir em 2021

Por Equipe de Economistas OMNIA

 

Juros Em Alta - Omnia TecnologiaO ano de 2020 terminou com importantes alterações econômicas, sanitárias, comportamentais, que afetam no aumento da inflação.

Sabemos das mudanças mas não como elas impactaram e impactarão a todos. Se uniforme, concentrada em determinados grupos, etc. Mas sabemos que, na política econômica brasileira, mais especificamente, no câmbio, não só mantivemos a tendência altista do dólar frente ao real como a exacerbamos.

A partir de 2012, ainda no primeiro mandato de Dilma Rousseff, o Brasil se deu conta que o dólar barato traria alguns benefícios de curto prazo, mas que a longo prazo o ajuste é sempre mais doloroso e difícil. Do início de 2013 ao final de 2015 a moeda estadunidense quase dobra de preço indo para R$ 3,90 por dólar em 31/12/2015. Mesmo com a queda entre 2016 e 2017, o ano de 2018 trouxe novo vigor na escalada. O esforço do 1º ano do Governo Bolsonaro para conter o movimento altista não foi duradouro.

Desde janeiro de 2020 o dólar está em nova escalada ascendente: o valor de R$ 5,33 por dólar em 30/11/2020 traz inquietações para 2021.

É que variação do dólar é acompanhada pelo IGP-M, índice de inflação que é influenciado em 60% do seu total apenas com a variação do dólar, que é um componente importante de reajustes de preços no marcado atacadista. E com a elevação do dólar, o IGP-M acompanha o movimento altista.

Ocorre que, com algum retardo, o IPCA, que mede a inflação do Governo Federal, busca acompanhar a elevação de preços, agora no varejo. Tem-se, assim, que as mudanças para cima do IGP-M, influenciado pelo dólar, vão ao final, impactar no aumento da inflação oficial do Brasil.

Analisando o gráfico abaixo e acrescentando-se dados básicos para esta mesma informação, destacam-se os seguintes aspectos:

Grafico Inflação - Omnia Tecnologia
Gráfico comparativo 12/2012 à 12/2020.

 

1 – O dólar, a partir do início de 2013 vem sistematicamente aumentando;

2 – O dólar já está até 30/11/2020, 161% mais caro, ou seja, com a mesma quantia de Real se compra apenas 38% do que se comprava em dólar no início de 2013;

3 – O IGP-M, nos últimos 12 meses, aumentou em 24,5%;

4 – O IPCA apresenta comportamento semelhante ao IGP-M, conforme o gráfico, desde o início de 2013, neste ano de 2020 ficou para trás e já vem acumulando desvantagem desde o meados de 2018. Aumento apenas de 11,59% para o IPCA enquanto que para o IGP-M a variação para cima foi de 40,78%.

Está implícita uma inflação represada de quase 20%. Os próximos 24 ou 36 meses serão de ajuste, para cima. O IPCA deve acompanhar o movimento já consolidado em 2020 do IGP-M, para nossa contrariedade.

Compartilhe nas redes

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on print
Share on email
Recomendado só para você
MEI: Entenda como funciona o Termo de Ciência e Responsabilidade…
Cresta Posts Box by CP
Open chat